Quando alguém nos incomoda no trabalho

0

*por Roberto Paes

Todo mundo tem aquele colega de trabalho que adora e aquele que não quer ver pintado nem de dourado. Chefes em particular são alvos fáceis para angariar o ódio de todo mundo dentro da seção, por mais que eles sejam pessoas que, olhando de fora, são os melhores chefes que alguém poderia ter.

Se pararmos para pensar um pouco, usando a ótica da psicanálise, um escritório reflete o que um indivíduo vive em sua casa, ou melhor, o que viveu durante a infância. E, neste sentido, colegas de trabalho podem ser comparados a irmãos e chefes podem ser comparados a pai ou mãe. E, dependendo de como nos relacionamos com a família, sem perceber, nos relacionaremos com as pessoas do trabalho.

Os colegas que você adora provavelmente lembram você de um irmão também adorado e um chefe hostilizado provavelmente lembra um pai que também adorava criticar, dar tarefas ingratas e fazia diversas cobranças que, mesmo ele dizendo que eram para o seu bem, você detestava realizar. Ou seja, a grande maioria das pessoas tem a tendência, inconsciente é claro, de reprisar durante toda a vida os relacionamentos vivenciados em família.

Se você não acredita, basta fazer isso: comparar quem você detesta com alguém da família que o incomodava e duvido que em poucos minutos não surja o nome de seu pai, de um tio ou de um irmão que era um “pé no saco”. Da mesma forma, analise as pessoas que você gosta e admira e perceberá que muito delas lembra algum familiar que você quer sempre ter do seu lado.

Como mudar esta dinâmica sentimental no trabalho? É simples, basta você olhar para estas pessoas e se conscientizar de que está fazendo uma simples transferência, que você não as esta vendo como estranhos e sim como pessoas que a incomodam ou incomodaram um dia em sua casa. Ou seja, seu chefe é seu chefe e não o seu pai.

Isso não impede que você, sabendo disso, não tente resolver as suas pendências com as verdadeiras pessoas que o incomodam.

Roberto Paes é formado em psicanálise pela Sociedade Brasileira de Psicanálise (SBPI) e possui vários cursos de especialização em teoria freudiana e lacaniana. Atualmente, atende em seus consultórios na cidade de Santo André e São Caetano do Sul e também em outras localidades no Brasil e no exterior através da Internet.

 

Compartilhe.

Deixe um Comentário